Arquivo da categoria: Midias Sociais

Video: Social Media & Investor Relations Trends


by Darrell Heaps

A Webinar from Q4 Web Systems that focuses on the current trends in social media and investors relations. Learn more at q4blog.com.

Anúncios

A FIR listener comment


This is not directly related to investor relations, but rather a comment on a subject proposed during the For Immediate Release podcast produced by corporate communications mavens Shel Holtz and Neville Hobson. I guess that I can take the opportunity and recommend to the few IR people that care to read this (and the fewer that would consider a recommendation made by me): this is a awesome show and a must for any and everyone interested on business communications, on technology and on the use of tech on biz communications.

Anyway, during episode 534 Neville introduced this service called Fraxion Payments and, as the shows normally goes, discussed it with Shel. Nobody was particular sanguine about it but they apparently saw some worth in it (“nice but not for me” seemed to be the reaction.) They even joked a bit about charging people to listen to FIR past a certain point (just a joke, the show is free.)  Well, my personal reaction is that, for the vast majority of the cases, a bad and the most myopic idea I’ve heard on a very long time. And the reason is quite simple: blogging is a social media and social media is, as we’ve been told over and over and over, about the conversation. I don’t know about you, but I’m not ready, not just yet, to pay to have conversations.

Just to make my case, consider Shel and Neville’s joke about a paid podcast. Imagine they would have charged for each listener of each 500+ episode they have posted. As a matter of fact, they should go ahead and have charged for each listener comment they’ve aired, just because they are allowing us to have a voice. And they should’ve charged Eric Schwartzman and Dan York for the honor to contributing to the show. And they should also have charged each and every person interviewed by them over the past five years. Of course they should. And they would have collect a few nickels, I supose. But then they would probably not be selling as many books, or getting as many consulting gigs, or giving as many talks on conferences and stuff. They would not be seen as the voices of authority they are. Just because they were not giving anything away for free (and, by the way, this is based on a very funny rant by web celebrity Merlin Mann.)

Yeah, I know, guess you could have a WordPress site that is not really a blog and not really about conversation and where charging would make sense. But then how would this be any different from any other walled garden solutions that are abundant today? It is not.

Midias sociais e RI: Só fique fora se não quiser conversar


No último dia 07 de outubro participei de mais um evento do IBRI, mas desta vez como um dos apresentadores. O evento foi o Webcast IBRI “Os aspectos jurídicos das mídias sociais” e a minha apresentação está aí, no post anterior. Também no webcast estavam o Geraldo Soares, RI do ItaúUnibanco, e a Dra. Patrícia Peck, advogada especialista em direito digital. Veja abaixo as apresentações de ambos.

Infelizmente alguns problemas técnicos na teleconferência prejudicaram um pouco as apresentações, que ficaram congeladas. Mas a conversa foi boa e esclarecedora. A Dra. Patrícia é claramente uma craque e sabe do que fala. O Geraldo dispensa apresentações e elogios.

Algumas coisas ficaram bastante claras para mim. A primeira é que companhias com presenças no mercado de capitais, objetivos de comunicação e recursos nas áreas de R.I. muito diferentes, como a WEG e o Itaú Unibanco, vão utilizar as ferramentas de mídia social de formas também diferentes.

A outra conclusão é que a utilização das chamadas mídias sociais é um caminho sem volta e será incorporada pela função de Relações com Investidores assim como vai sendo incorporada pelas outras áreas de comunicações corporativas. E isso por um motivo muito simples, que eu tentei deixar bem claro na minha intervenção: as mídias sociais não são substitutos ou adições aos meios tradicionais de disclosure de informações. Elas são ferramentas para outra função, são formas de CONVERSAR com nosso público, com aqueles com quem não falamos ao telefone, com quem não encontramos em reuniões one-on-one em Non-deal Road Shows ou conferências, que não tem, infelizmente, condições de vir até nossa sede para investir um dia em uma visita.

Conversar significa ouvir primeiro e falar depois. Significa ser honesto, respeitoso, usar linguagem acessível, manter a consistência. Significa ser AUTÊNTICO. Enfim, conversar é o que os profissionais de relações com investidores fazem. Não somos, ou não deveríamos ser, meros provedores de informações. Dar informações de maneira correta (o que significa, necessariamente, de acordo com a regulamentação) é apenas parte do nosso trabalho. E sem fazer pouco do trabalho braçal que cumprir todas as formalidades dá, esta é a parte fácil.

Se você (ou seu consultor de RI) não vê como estas ferramentas podem te ajudar, experimente. Abra uma conta no twitter.com ou no slideshare.net e começe a acompanhar. Quem sabe você não descobre que sua companhia é um assunto constante de algumas conversas e todo mundo estava esperando mesmo é por você.